Posts filed under ‘1’

VestUfes 2010 vai usar Enem na primeira etapa

noticia_VestUfes

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Ufes decidiu que a instituição de ensino utilizará as notas das provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2009 na primeira etapa do VestUfes 2010. A segunda etapa, que será realizada entre os dias 13 e 15 de dezembro, permanecerá no mesmo formato e será composta de duas provas discursivas específicas por área e uma prova de redação para todos os candidatos.

A nota do Enem 2009 servirá apenas para classificar os candidatos para a segunda etapa, sendo que esta pontuação não será computada na nota final.

O reitor Rubens Rasseli, que presidiu a sessão, salientou que a proposta foi colocada na pauta da reunião do Cepe, considerando a urgência de se definir a matéria, na medida em que as inscrições para o novo Enem 2009 começarão no próximo mês.

Segundo ele, a proposta foi apresentada pela Comissão Especial de Reestruturação dos Processos Seletivos da Ufes, constituída por ele, que estudou as mudanças sugeridas pelo Ministério da Educação. A definição por parte da Ufes visa a tornar claro para a comunidade qual será o formato a ser adotado no vestibular.

O reitor ponderou que a Ufes não quis promover mudanças radicais no seu vestibular, de modo a não prejudicar a programação das escolas e dos candidatos que se preparam para o VestUfes.

De acordo com Rasseli, a Ufes já utiliza o Enem na primeira etapa, em até 25% da pontuação, e agora vai utilizar 100% da nota. “Não podíamos ficar indiferentes às mudanças anunciadas pelo Ministério da Educação para todo o país”, considerou. A proposta do Cepe foi aprovada por unanimidade.

Mudanças na reserva de vagas

Na mesma reunião, o Cepe também aprovou alterações no sistema de reserva de vagas a partir do VestUfes 2010. A reserva, que antes era destinada para alunos da rede pública de ensino e com renda familiar de até sete salários mínimos, mudou.

O Cepe decidiu utilizar como critério de renda para efeito de benefícios sociais, o decreto 6135/2007, que estabelece renda familiar mensal per capita de meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Segundo o reitor, a Procuradoria Federal avalizou a alteração, por existir um decreto que trata dos benefícios sociais no âmbito da administração pública federal.

A decisão do Cepe:

Estabelecer um sistema de inclusão social, por meio do Processo Seletivo para ingresso nos cursos de graduação desta Universidade (PS-Ufes), contemplando, de modo simultâneo e articulado, as seguintes dimensões:

– Reserva de vagas para estudantes oriundos de escolas públicas no Brasil, que possuam renda familiar mensal per capita de até sete salários mínimos

– O sistema de inclusão social terá como meta atingir o percentual de reserva de 50% (cinqüenta por cento) das vagas em cada um dos cursos de graduação, a serem preenchidas por candidatos aprovados oriundos de escolas públicas, de acordo com o seguinte plano:

– Haverá reserva de 40% (quarenta por cento) das vagas de cada curso no PS-Ufes para ingresso nos cursos de graduação;

– Haverá reserva de 45% (quarenta e cinco por cento) das vagas de cada curso no PS-Ufes para ingresso nos cursos de graduação no ano letivo de 2009 se, e somente se, ocorrer expansão de, no mínimo, 30% (trinta por cento) de novas vagas sobre o total das vagas do respectivo curso existentes no ano de 2007;

– Haverá reserva de 50% (cinqüenta por cento) das vagas de cada curso no PS-Ufes para ingresso nos cursos de graduação no ano letivo de 2010 se, e somente se, houver expansão de, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) de novas vagas sobre o total das vagas do respectivo curso existentes no ano de 2007.

– Poderão concorrer às vagas reservadas os candidatos que atenderem ao seguinte perfil, cumulativamente: não possuir diploma de qualquer curso superior; ter cursado, no mínimo, quatro séries do ensino fundamental e todo o ensino médio ou curso equivalente, exclusivamente, em escola pública no Brasil; possuir renda familiar mensal per capita de meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (de acordo com o Decreto 6135); estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

– Os comprovantes deverão ser encaminhados a Comissão Permanente de Verificação (CPV/SIS) para análise, de acordo com os procedimentos publicados em edital específico pela Secretaria de Inclusão Social (SIS-Ufes).

– Os candidatos que tenham obtido certificação do Ensino Médio na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) na rede pública de ensino, mediante aprovação nos exames supletivos e/ou instrução personalizada, poderão concorrer como optante pela reserva de vagas, desde que tenham cursado o Ensino Fundamental integralmente e exclusivamente na rede pública. Os candidatos deverão ter concluído, pelo menos, 07 (sete) disciplinas na modalidade EJA na rede pública de ensino, no ato de inscrição.

– A SIS-Ufes divulgará, após análise da documentação, a relação dos candidatos que tiveram solicitação deferida para concorrerem às vagas do Sistema de Inclusão Social, na modalidade de optantes pela reserva de vagas. Os candidatos que tiveram solicitação indeferida concorrerão automaticamente como não-optantes. O curso equivalente deverá ter sido concluído pelo candidato, no máximo, no ano anterior ao que esteja previsto para o seu ingresso nesta Universidade.

– Para o preenchimento das vagas, os candidatos serão classificados de acordo com a ordem decrescente de pontuação total obtida no PS-Ufes, conforme a opção assinalada no ato da inscrição na modalidade de optante pela reserva de vagas ou não optante pela reserva de vagas.

– Havendo sobras de vagas, haverá o remanejamento de uma modalidade para outra.

– Para desempate, quando ocorrer, serão adotados os critérios constantes da Resolução que rege o PS-Ufes.

– Nos cursos com duas entradas anuais, 50% (cinqüenta por cento) das vagas reservadas serão preenchidas no 1° semestre letivo e o restante no 2° semestre letivo.

– Em caso de número de vaga fracionado, o arredondamento será em favor da modalidade optante pela reserva de vagas.

– O sistema de inclusão social estabelecido pelo Cepe deverá ser avaliado bianualmente por este Conselho, até o ano de 2014, ocasião em que será decidido por sua continuidade ou não.

Fonte: http://www.ufes.br

Quarta-feira, 27, 09 at 12:05 pm 3 comentários

Dicas básicas…

Galera, como vocês sabem, vou passar o final de semana fora, mas estou com o pensamento em vocês. Vou orar e torcer para que todos se sintam calmos e confiantes para a prova de Redação. Isso é muito importante!

Primeiro, queria dizer que todos os alunos do SuperAção são mais que vencedores, mesmo aqueles que não passaram no vestibular. Sabemos de todas as dificuldades que vocês passam pra estudar. Não é mole enfrentar um dia de trabalho e ainda ter ânimo para estudar tanta coisa.

Além da Ufes, há outras possibilidades: concursos, cursos técnicos e, com certeza, o próprio fato de se adquirir conhecimento, coisa que ninguém vai roubar de vocês.

Minhas dicas para a prova de Redação, mais uma vez, são:

O que a banca quer saber é se você sabe, em primeiro lugar,

– construir um texto para emitir opinião, que pertence ao ramo ou gênero dissertativo argumentativo. Nesse caso, o enunciado vai revelar que tipo específico de texto eles querem, que pode ser editorial, artigo, carta, manifesto, dissertação argumentativa tradicional, que é a antiga redação escolar mesmo. Sigam as instruções de Natal e leiam sobre temas de atualidades. Sem conhecer o conteúdo dos temas, é muito difícil escrever para omitir opinião. O enunciado vai revelar se você pode ser mais incisivo (artigo) ou moderado (editorial) na maneira de omitir sua opinião. De qualquer forma, são textos opinativos. Isso deve estar claro.

– construir texto para narrar uma história, do gênero narrativo. Nesse caso, podem pedir para inventar uma história (narrativa ficção – “conto”) ou narrar fatos reais do cotidiano (crônica). Acho mais remoto, mais podem pedir para escrever uma fábula, que também é ficção, mas difere do conto por envolver animais ou deuses e ter uma moral.
O que pode cair também é a tirinha, narrativa com desenhos. Nesse caso, eles vão colocar as imagens e pedir para vocês criarem uma história. Cuidado com o tipo de pessoa que eles vão pedir, se for autobiográfico, é em primeira pessoa.

– construir um texto descritivo. Descrever é contar o que você está vendo. Pode ser um ambiente ou uma pessoa. Pode ser também descrever aspectos psicológicos, como a personalidade de uma pessoa.

Dicas gerais:

Não deixem que as regrinhas ou fórmulas prontas inibam a criatividade de vocês. A banca espera textos objetivos, por isso, pedem 20 linhas, que sejam claros, coerentes e coesos e também criativos. Os textos precisam de um começo, meio e fim. A idéia precisa ser apresentadas, desenvolvida e concluída. É isso.

Na narrativa, a criatividade pode ser mais solta, então, vocês podem usar a escrita rápida. Escrever o que vier à cabeça sem pensar muito.

Leiam sobre:

IPTU, CPMF, obras em Vitória, cotas e o que postei aqui no blog.

No mais, confiem em Deus e no potencial de vocês. Acreditem em vocês. Não tenham vergonha de expor o que vcs pensam!

Tô orando e torcendo.
Bjs,
Jussara

Sexta-feira, 14, 07 at 12:15 am 1 comentário

Mais exemplos…

Na página abaixo, há sugestões de redações para vários temas. Os textos motivadores são importantes porque trazem informações que podem ser úteis na hora de constuir argumentos.

http://www.portrasdasletras.com.br/pdtl2/sub.php?op=redacao/temas/index

Quinta-feira, 13, 07 at 11:57 pm Deixe um comentário

Exemplo…

Senhora de 82 presta vestibular no Pará: Raimunda Nonata terminou o ensino médio dois dias antes do vestibular.

Força de vontade e muita disposição são alguns itens necessários para tentar uma vaga na universidade. Neste fim de semana, cerca de mil candidatos prestaram o vestibular em uma universidade particular de Santarém, no Pará. Entre elas, uma candidata de 82 anos. Raimunda Nonata tentou pela primeira vez o vestibular. A área escolhida: serviço social.

A vestibulanda concluiu o ensino médio apenas dois dias antes de prestar o vestibular. Ela não perdeu tempo e foi em busca de mais um sonho: o ensino superior. Sem importar-se com a idade e com a concorrência ela se concentrou na prova. Leu questão por questão e usou todos os minutos disponíveis para não colocar a vaga em risco.

Apoio da família
A idéia de prestar vestibular partiu da própria Raimunda, que teve o apoio de toda a família. A filha e a neta de dona Raimunda aguardaram com expectativa a vestibulanda entregar a prova.

“É impressionante que ela tenha 82 e está fazendo o vestibular. Eu fico emocionada de saber que ela vai estudar comigo”, disse a neta Karen Maciel, estudante da instituição.

Raimunda ficou duas horas e meia na sala de aula fazendo a prova. “Estou nervosa. Deu frio por todo o corpo. Mas eu decidi fazer e ver como é. Eu tenho essa idade, mas sinto que não a tenho”, conta a candidata.

Segunda-feira, 3, 07 at 4:03 pm Deixe um comentário

Sistema digital deve ampliar número de canais na TV aberta

Brasília – O modelo de TV Digital do Brasil deve ampliar o número de canais existentes na TV aberta. Embora o espectro da TV digital seja finito, haverá espaço nas grandes capitais, por exemplo, para concessão de pelo menos mais dois canais. Haverá também espaço para a criação de quatro novos canais digitais públicos: um do Poder Executivo, um da área de educação, um de cidadania e outro de cultura.

A chegada da TV digital ao Brasil vai representar a chance de novos mercados. Só no Brasil, informou a Secretaria de Imprensa e Porta-Voz da Presidência da República, estima-se que os negócios envolvendo a entrada da TV digital no país chegarão a cerca de R$ 100 bilhões, dentro de 15 a 20 anos. O sistema abrirá novas oportunidades de exportação de equipamentos eletroeletrônicos, assim como de programas, minisséries e filmes.

O avanço tecnológico permitiu, além da digitalização do sinal dos aparelhos celulares, o sinal dos aparelhos televisores. Isto significa que, num prazo de 18 meses, a população brasileira poderá ter uma melhoria significativa na qualidade de imagem (igual ou superior à de DVD), alta definição (imagem semelhante à do cinema) e acesso a serviços via controle remoto da TV, como marcação de consultas no SUS [Sistema Único de Saúde] e verificação de dados da Previdência Social.

O decreto que traz diretrizes para a implantação da TV digital no Brasil, foi assinado hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, por meio da TV digital, também será possível assistir televisão com imagem perfeita em celulares e aparelhos de TV instalados em trens, ônibus, táxis ou veículos particulares, sem qualquer custo adicional. Por sua interatividade, esse novo sistema vai favorecer a inclusão digital.

Segunda-feira, 3, 07 at 3:47 pm Deixe um comentário

Diferença entre plebiscito e referendo

Para esclarecer as dúvidas da última aula sobre referendo e plebiscito:

Referendo é um instrumento de democracia direta por meio do qual os cidadãos eleitores são chamados a pronunciar-se por sufrágio direto e secreto, a título vinculativo, sobre determinados assuntos de relevante interesse à soberania nacional. Em Portugal ocorre mediante proposta da Assembleia da República, ou do Governo, ao Presidente da República que decide da sua realização. No Brasil, depende de expedição de decreto legislativo pelo Senado para que seja realizado.

A diferença entre plebiscito e referendo é que o plebiscito é convocado antes da criação da norma (ato legislativo ou administrativo), e é o povo, por meio do voto, que vai aprovar ou não a questão que lhe for submetida. Já o referendo é convocado após a edição da norma, devendo o povo ratificá-la ou não.

***
No caso do desarmamento, como disse, foi referendo mesmo. Pra quem não lembra do resultado:

Referendo 2005 – O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?
SIM: 36,06% e NÃO: 63,94%
Urnas apuradas: 323.368 (100%)
Votos válidos: 92.442.310 (96,92%) Brancos: 1.329.207 (1,39%)
Nulos: 1.604.307 (1,68%)

Referendo sobre o desarmamento no Brasil

Os eleitores foram convocados a responder à seguinte pergunta no domingo (23): “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”.
Caso a proibição fosse aprovada por maioria simples do eleitorado, ela restringiria a venda de armas e de munição à Presidência da República, Forças Armadas, polícias estaduais e federal, guardas municipais, penitenciárias, guardas portuárias, empresas particulares de segurança e transporte de valores e entidades desportivas de tiro legalmente constituídas.

A vitória do “não” mantém as regras determinadas pelo Estatuto do Desarmamento, que entrou em vigor em dezembro de 2003 e tornou mais rígidas as normas para a concessão do registro e do porte de arma de fogo no país.

Logo que entrou em vigor, o estatuto já anulou todos os portes (autorização para circular com a arma) para o cidadão comum. Integrantes da Forças Armadas, policiais, vigilantes da segurança privada, colecionadores, atiradores esportivos e moradores de área rural –desde que usem a arma para a caça de subsistência– continuam com essa autorização.

Para o restante da população, o porte só vai ser concedido se o cidadão conseguir comprovar à Polícia Federal a necessidade de arma por atividade profissional de risco –um médico que faz um plantão à noite, em uma área violenta, por exemplo– ou por ameaça à sua integridade física (uma pessoa ameaçada de morte). Segundo a PF, serão analisados caso a caso e o autor do pedido vai passar por uma entrevista.

Em relação ao registro (a arma só pode ficar em casa ou no trabalho, quando o proprietário é responsável pelo local), o autor do pedido –que não pode ter menos de 25 anos nem antecedentes criminais– também vai ter de justificar a necessidade da arma. O estatuto também prevê o recadastramento nacional até o fim do ano que vem.

Segunda-feira, 3, 07 at 11:06 am 15 comentários

Pirataria…

Para vencer a ilegalidade
A cada ano, o Brasil deixa de ganhar o equivalente a um PIB da Australia devido às praticas economicas ilegais

EXAME Mal que já atinge 40% da economia brasileira — o equivalente a 318 bilhões de dólares –, a ilegalidade é hoje o principal obstáculo que trava o crescimento do Brasil. Essa é uma das principais conclusões do estudo da consultoria McKinsey sobre as causas do atraso brasileiro. Práticas à margem da lei, como sonegação de impostos e de obrigações trabalhistas, falsificação, contrabando e desrespeito às normas sanitárias, respondem por 39% da diferença de renda entre brasileiros e americanos. Para ter uma idéia de seu impacto negativo, basta notar que uma virtual eliminação dessas práticas mais que dobraria a renda per capita brasileira — é como se, da noite para o dia, todos os habitantes do país se tornassem duas vezes mais ricos só pelo efeito do combate ao Brasil das sombras.

Num cenário mais realista, (mais…)

Segunda-feira, 3, 07 at 10:59 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Calendário

Maio 2017
D S T Q Q S S
« Maio    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Posts by Month

Posts by Category